Trinta anos de trabalho fizeram do Professor Breno um figura respeitada na comunidade escolar de Alvorada | Foto: Amanda Fernandes / OA

Não é preciso muito tempo de conversa até que alguém chegue e pergunte: “Também foste aluna do Breno”? A pergunta é recebida com um sorriso também pelo professor, que se dedica há mais de 30 anos na formação de crianças e adolescentes de Alvorada.

Breno José do Nascimento, professor de matemática, fala com orgulho da profissão, e os olhos brilham ao falar dos projetos envolvendo o xadrez, que implantou em várias escolas da cidade. Só na escola João Belchior Marques Goulart (Jango) são 14 anos de trabalho com crianças de todas as idades. Hoje, o grupo de xadrez tem dez crianças, com idades entre nove e dez anos.

São vários prêmios de campeonatos e torneios por todo o Estado e pelo país. Mas pode-se perceber, pela jeito do professor, de voz calma, que os maiores prêmios são aqueles que vêm quando ele encontra os antigos alunos tendo sucesso nas profissões que escolheram.

Os projetos implantados pelo professor Breno auxiliam, principalmente, na socialização dos alunos, desenvolvendo habilidades que vão além da concentração e memorização que o esporte exige. Junto com o xadrez, as crianças melhoram o raciocínio lógico, o convívio e a harmonia em sala de aula. “Quando eles começam a praticar xadrez, mudam as atitudes em sala de aula”, comenta e sorri, ao afirmar que demais professores elogiam essa mudança de comportamento dos alunos que começam o xadrez.

Um aluno campeão
Professores como o Breno fizeram de Alvorada uma das cidades com maior envolvimento com o xadrez do Estado. Ele e a ONG Embrião levaram o xadrez a várias escolas do município e várias crianças a campeonatos pelo país. Um desses alunos é Bruno Rosa Malaquias, de 12 anos, também alvoradense. Bruno é o atual campeão da Copa QI de Xadrez, na categoria até 12 anos. O título na Copa QI levou-o a participar do Campeonato Mundial de Xadrez da Juventude, realizado entre os dias 17 e 27 de novembro de 2011 em Caldas Novas, Goiás.

Bruno e outros três estudantes gaúchos disputaram partidas que chegaram a durar 5 horas com jogadores de todos os lugares do mundo. Os meninos do Sul não se classificaram, mas, mesmo assim, o professor que os acompanhou durante os dez dias de viagem destaca a importância que eventos como esse têm na formação dessas crianças. “Imagina o que foi essa viagem pra ele, que mora aqui na frente do colégio? O contato com outras culturas é de uma importância imensa.”

Família de Professores
Breno é casado há quase 40 anos com a também professora Clotilde. Um de seus três filhos também decidiu seguir a profissão e leciona biologia no Jango. Hoje, o professor está aposentado, mas ainda é figura importante no convívio do colégio Jango e de toda a comunidade escolar. Ele foi o primeiro diretor da escola Olga Benário e foi homenageado recentemente. A biblioteca da escola recebeu seu nome em reconhecimento ao seu trabalho.

Fonte: Amanda Fernandes / OA