Sessão que aprovou o reajuste foi marcada por insultos e vaias | Foto: Marcos Eifler / Agência ALRS / OA

Ao final de uma sessão longa e tensa, com intensos protestos e vaias, o projeto de reajuste do magistério do Rio Grande do Sul foi aprovado com 29 votos favoráveis e nenhum contrário. Depois de tentar ganhar tempo e pedir diversas verificações de quórum, a oposição se retirou do plenário da Assembleia Legislativa, sem votar.

Antes de deixar o plenário a oposição tentou emplacar um requerimento que determinava ao Piratini prazo de 60 dias para enviar à Casa um novo cronograma prevendo pagamento do piso nacional do magistério, hoje no valor de R$ 1.451,00. Acabou não conseguindo. O placar ficou 27 a 21.

Com o esvaziamento da sessão os deputados da base do governo aprovaram a anistia aos professores e funcionários de escola que fizeram greve em 2011, além do projeto de reajuste dos funcionários das escolas.

Greve

Com a aprovação do projeto, o Cpers mantém o indicativo de greve. A categoria deve se reunir em assembleias nos próximos dias para decidir se a paralisação vai ser ampliada.

 

Fonte: O Alvoradense